Traga seu DNS para o Azure DNS

Fala pessoal, como estão?

Neste post vou mostrar um dos serviços mais bacanas no Azure que é o gerenciamento de DNS. Sim, usar o próprio Azure para resolver seus hosts. Vamos lá!

O que você precisa saber

Primeiramente, entenda que este é um serviço gerenciado. Isso quer dizer que existem coisas que você pode e coisas que você não pode mexer.

O que posso fazer?

A resposta rápida é: praticamente tudo. Mas detalhando um pouco, podemos dizer que o Azure DNS pode:

  • Criar zonas diretas;
  • Criar zonas inversas;
  • Mapear zonas privadas (disponível em public preview);
  • Servir de Name Server (para que você crie os apontamentos TXT,  A, AAAA, CNAME, SRV, etc.

O que não posso fazer?

Criando sua zona DNS

Vamos botar um pouco de mão na massa. para criar sua zona é realmente bastante simples. Utilizando Azure CLI nós iremos inserir este comando:

Em meu exemplo deixarei desta forma:

O resultado será este:

Veja a chave “nameServers”. São aquelas informações que serão usadas para poder garantir a resolução de nomes utilizando o serviço. É provável que seus name servers sejam diferentes. Anote estes nomes e vamos para a próxima etapa.

Vincular seu domínio existente a uma zona do Azure DNS

Agora vem uma parte legal, uma das principais vantanges do Azure DNS é a liberdade em poder criar registros, como num servidor DNS local. Você pode definir diversos tipos diferentes de registros assim como TTLs extremamente baixos como 1 segundo, para testes/validações.

Para que você torne o Azure DNS sua zona padrão de DNS é necessário apontar os Name Servers (NS) de seu Registrar para o serviço. No exemplo a seguir eu vou transferir a zona DNS do Registro.BR para o Azure DNS, mas o mesmo se aplica independente do seu provedor.

Na página do seu registrador, verifique todos os domínios e selecione aquele que você quer levar para o Azure.

Agora você deve navegar até a área de edição do Name Server.

Agora nós vamos inserir o que vimos durante a criação da zona DNS. Insira preferencialmente os 4 registros apresentados e salve as alterações.

Se você tiver inserido corretamente os registros, este será seu resultado final:

Uma vez feito estes passos você terá seu DNS diretamente pelo azure!

Criando seus próprios registros

Neste último passo, nós podemos passar para a interface gráfica do Azure para o gerenciamento. Nós vamos criar um registro simples apontando o host www.cloudengineers.com.br para www.cloudsquad.com.br.

Usando o comando az network dns record-set --help nós descobrimos todos os registros possívels de serem adicionados. Em nosso caso usaremos um registro cname.

Agora, basta adicionar o comando correto para adicionar um registro CNAME usando o exemplo:

az network dns record-set cname set-record -g <Grupo de Recursos> -z <zona DNS> -n <host> -c <valor> --output jsonc
Assim como você cria um registro definindo um nome de Host e um valor para este host vamos criar da mesma forma. No meu caso fica assim:

O resultado final é o apontamento concluído com sucesso pelo output a seguir:

Tem dúvida se o registro terminou de propagar? Minha dica é usar a página DNS Checker, que consegue validar a propagação do seu domínio.

Conclusão

Neste post você aprendeu a criar sua zona de DNS no Azure, além de trazer seu domínio e criar registros, tudo de forma simples através de linha de comando. Obrigado e nos vemos em breve!

 

Carlos Oliveira

Carlos Oliveira, 25, fundador da página CloudSquad, blog de compartilhamento de conteúdo sobre Cloud Computing onde traz dicas e truques sobre Office 365 e Azure além de ser um hub para trazer soluções práticas para problemas complexos.

Carlos Oliveira
pt_BR
en_US pt_BR